Vereadores de Botuporã repudiam Reforma da Previdência


Edis destacaram que a população de Botuporã é, predominantemente, rural.

O Poder Legislativo do município de Botuporã enviará um manifesto de repúdio aos deputados federais, principalmente aqueles que foram votados no município, condenando a Proposta de Emenda Constitucional 287 (Reforma da Previdência).

A sessão ordinária de ontem (30) tratou do mencionado tema, inclusive com a participação de vereadores do município vizinho de Tanque Novo. Todos os vereadores foram unânimes em não aceitarem que os representantes do povo no Congresso Nacional votem contra a classe trabalhadora, inclusive professores, trabalhadores rurais e aqueles que necessitam de benefício de prestação continuada ou pensão por morte, pensamento que foi comungado pelos assessores jurídicos presentes

Vereadores de Tanque Novo também enviarão nota de repúdio contra a PEC.

Confira abaixo alguns trechos do Manifesto de Repúdio que será enviado aos parlamentares federais, inclusive aqueles votados no município, a exemplo de Mário Negromonte Júnior (PP), Lúcio Vieira Lima (PMDB), Sérgio Brito (PSD), José Rocha (PR), Waldenor Pereira (PT), Cacá Leão (PP), Jorge Solla (PT), Arthur Mais (SD-Relator da proposta), Roberto Brito (PP), João Gualberto (PSDB), Cláudio Cajado (DEM), Daniel Almeida (PCdoB) e José Carlos Aleluia (DEM). O objetivo da medida é fazer com que os deputados não aprovem a PEC 287/2016.

“Como representantes do município, manifestamos extrema preocupação com a chamada ‘Reforma da Previdência’. Trata-se de um conjunto de medidas acompanhadas pelo Presidente da República, Michel Temer, à Câmara dos Deputados, que prevê, entre outros pontos, a mudança na idade mínima das aposentadorias, que a ser de 65 anos, indistintamente para homens e mulheres, das áreas urbana e rural. Tal mudança representa um aumento significativo na idade mínima de aposentadoria de 5 anos para homens e 10 anos para mulheres…”
“Estudos comprovam que em muitas regiões do país, especialmente no Norte e Nordeste, a expectativa de vida está abaixo dos 65 anos…”.

“Outro grave ponto da ‘Reforma da Previdência’, proposta pelo atual presidente, estabelece a obrigatoriedade de contribuição de 49 anos com a Previdência para que ou trabalhador ou trabalhadora tenha direito a aposentadoria integral…”.

Ao final, os vereadores listam a dificuldade de vida no município de Botuporã, a exemplo das estradas, do comércio local que sobrevive, praticamente, com os rendimentos das aposentadorias rurais e dos servidores públicos, colocando-se na defesa intransigente da previdência pública no intuito de garantir uma aposentadoria digna no futuro a todos os trabalhadores, em especial os botuporenses.

Os vereadores Glauber Magalhães, Antonio Filho, Adilson Pereira, Honório Andrade, Maria da Conceição, Marcílio Santos, Adriano Neves e Erasmo Marques destacaram que os deputados não podem votar contra os trabalhadores do campo e as categorias em geral. O vereador Florisvaldo dos Santos não compareceu à sessão, mas o manifesto lhe será entregue para colher sua assinatura.